MotoGP, 2020: Rossi satisfeito com novo mecânico chefe

Por a 30 Dezembro 2019 14:30

Valentino Rossi negou que a falta de moral do seu lado da garagem da Yamaha oficial estivesse por trás de uma mudança de chefe de equipa para a temporada de MotoGP de 2020.

Rossi explicou que o maior problema têm sido os resultados. Tendo conquistado 115 vitórias em grandes prémios, um recorde de 89 delas na categoria rainha, Rossi sabe que vencer muda tudo.

Mas o Doctor não vence uma corrida desde 2017 em Assen e até o final desta temporada tinha completado 16 corridas sem sequer subir ao pódio.

“Para mim, a moral não é o problema, o maior problema são os resultados”, afirmou Rossi. No nosso desporto, como em tudo no resto da vida, quando se tem um bom resultado, tudo está bem. Mas se lutamos com dificuldades, tudo se torna mais difícil… mas no geral, a equipa está contente, se estivermos fortes e competitivos, a moral não é um problema!”

Uma mudança de final de época, que noticiámos em Outubro, e fica para 2020, viu Rossi trocar o experiente chefe de equipa Silvano Galbusera (que por sua vez substituiu Jerry Burgess em 2014) por David Muñoz, um novato em MotoGP, que impressionou Rossi como parte da sua equipa VR46 de Moto2.

“David é um jovem chefe mecânico, por isso é muito interessante também para mim. É como a ‘nova geração’ de chefe mecânico. Isso é bom, eu gosto disso”, disse Rossi. “Mas precisamos de tempo, e especialmente ele precisa de tempo para me entender e aprender mais sobre a Yamaha M1.”

Estabelecer uma relação de trabalho com Muñoz foi uma das principais prioridades de Rossi para o par de testes pós-temporada, em Valência e Jerez.

“Para nós, para a minha equipa, esses dois testes foram importantes, principalmente por duas coisas. A primeira é o David, o novo mecânico chefe e a maneira de trabalhar com ele. Porque o trabalho na boxe mudou um pouco e nesse ponto de vista todos estamos muito contentes, precisamos de tempo, ele precisa de tempo, mas temos boas sensações”.

“A outra coisa importante é a nova moto. O feedback com a nova moto é bastante positivo, sob alguns pontos de vista a moto melhorou, mas ainda tem alguns problemas e também precisamos de dar um passo maior. Portanto, não estamos tão mal com a nova moto, mas ainda temos algum trabalho pela frente”.

Desde a conclusão dos testes de MotoGP, Rossi esteve em pista no Mercedes de F1 de Lewis Hamilton e subiu ao pódio ao lado do irmão Luca Marini e do amigo Uccio Salucci na corrida de GTs das 12 Horas do Golfo.

Rossi e Muñoz iniciarão as suas atividades de MotoGP para 2020 no teste de Sepang em Fevereiro, pouco antes do 41º aniversário de Rossi, que o torna o piloto mais velho de MotoGP de longe…

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png