MotoGP 2020:  O QUE PODEMOS ESPERAR DA SUZUKI ESTE ANO? PARTE 2

Por a 24 Janeiro 2020 16:00

Vimos como Rins revelou todo o seu talento em 2019… mas mesmo assim, a sua qualificação foi irregular: ele pode ter conseguido três pódios, mas teve apenas um arranque da primeira fila e classificou-se nas duas primeiras filas – uma base sólida para conseguir pódios – apenas quatro vezes em 2019.

É Rins ou é a moto? O companheiro de equipa Joan Mir lutou com o mesmo problema, apesar de ter a desculpa de ser um novato. Mas revendo as posições de qualificação combinadas e onde os dois pilotos da Suzuki terminaram, surge um padrão muito claro: Alex Rins terminou bem à frente da sua posição de qualificação em todas as corridas, menos nas duas em que caiu; Joan Mir perdeu lugares em apenas quatro das dezessete corridas que começou.

Dada a facilidade com que a Suzuki pode dar a volta a outras motos, isso não nos deve surpreender. Mas isso faz-nos perguntar quantas corridas Rins poderia ter vencido em 2019 se ele tivesse arrancado de mais adiante na grelha. E quantas corridas Rins e Mir podem dominar se puderem arrancar das duas primeiras filas em 2020.

Alex Rins pode ter-se estabelecido num nível alto para vencer na próxima temporada, mas grandes coisas também são esperadas de Joan Mir. O rookie espanhol passou a primeira parte de 2019 aprendendo a pilotar no MotoGP e, assim que começou a parecer que ele estava pronto para dar o próximo passo, sofreu um grande acidente nos testes em Brno.

Pulmões gravemente magoados forçaram-no a perder duas corridas, mas também o prejudicaram em condições quentes e húmidas. Mir teve dificuldades a respirar na Tailândia e em Sepang, e perdeu muito condicionamento físico porque não conseguiu fazer nenhum exercício aeróbico prolongado durante muito tempo após o acidente.

A última parte de 2019 deu-lhe motivo de esperança, no entanto.

Nas últimas sete corridas, Mir ficou fora dos dez primeiros apenas uma vez, quando chocou com Jorge Lorenzo nas primeiras voltas e perdeu muitas voltas a recuperar. O seu melhor resultado foi em Phillip Island, onde ele alcançou o grupo lutando pelo pódio e perdeu, à justa, cruzando a linha em quinto.

Os testes de inverno também foram bons para Mir. O espanhol terminou os testes de Valencia e Jerez em quinto lugar, à frente do companheiro de equipa Rins em Valencia, atrás dele em Jerez. Rins terminou o teste de Jerez na terceira posição, com apenas Maverick Viñales e Marc Márquez à sua frente.

Em suma, as coisas estão boas para a equipa Suzuki Ecstar em 2020. Eles têm um sólido veterano em Alex Rins, que está melhorando à medida que amadurece, e é absolutamente destemido. Eles têm um piloto extremamente promissor em Joan Mir, entrando na sua segunda temporada no MotoGP (e apenas a sua quinta temporada no Mundial), com experiência no seu currículo e começando a mostrar o seu potencial.

A Suzuki foi excelente em 2019, e a moto para este ano parece ser ainda mais refinada, mais forte nos lugares em que era fraca sem ter que sacrificar o desempenho para obter esses ganhos.

Talvez ainda mais encorajador, eles têm dois pilotos com poucas razões para querer ir embora. Mir e Rins estão felizes com a Suzuki e desejam construir um legado com a fábrica de Hamamatsu. Rins pode-se tornar um alvo para uma fábrica como a Ducati, mas para Rins e Mir, a relva parece muito mais verde onde estão, do que em outros lugares.

Portanto, não deve ser muito difícil para a Suzuki persuadir os dois pilotos a permanecerem depois dos seus contratos terminarem no final do ano. O único senão é o facto de que ter dois pilotos fortes cria inevitavelmente atrito, e já existem sinais precoces de problemas entre Mir e Rins. A Suzuki parece bem para 2020, mas isso poderia causar problemas a longo prazo.

Sem dúvida, é uma ponte que a Suzuki, nas mãos firmes do gestor de equipa Davide Brivio, atravessará quando lá chegarem. No momento, o seu objetivo é ganhar mais e mais pódios em 2020 e comemorar o seu 60º aniversário nas corridas de Grand Prix com estilo. Há todos os motivos para acreditar que eles serão capazes de fazer exatamente isso.

 

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png