MotoGP, 2020: Morbidelli entusiasmado com Rossi na equipa

Por a 28 Junho 2020 14:00

A perspetiva de uma temporada de MotoGP em 2021 com o nove-vezes campeão do mundo Valentino Rossi de 41 anos na equipa da Yamaha Petronas está a causar emoções fortes em Franco Morbidelli, de 25, pois o Italo-Brasileiro tornou-se o primeiro aluno de Rossi aos 13 anos.

O Campeonato do Mundo de MotoGP de 2020 vai arrancar em Jerez no dia 19 de Julho, com mais de quatro meses de atraso, e inclusivamente já foram anunciados contratos para 2021 e mais além..

Franco Morbidelli ainda não foi oficialmente autorizado a anunciar nada, mas tem boas hipóteses de manter o seu lugar na Yamaha Petronas SRT.

“Neste momento ainda estou sem contrato, mas estou relaxado. Tenho plena confiança nas pessoas que trabalham comigo e para mim, e nas para as que trabalho: Lin Jarvis, Razlan e Wilco. Tenho a sorte de trabalhar com pessoas muito boas que acreditam em mim e, em troca, tenho muita confiança neles”, disse o campeão do mundo de Moto2 de 2017.

O facto de poder sair da Yamaha não está em discussão:

“Não, porque não me fizeram uma proposta de outro fabricante”, afirmou Morbidelli numa entrevista recente.

Se Valentino Rossi ainda estiver na sua 26ª temporada no Mundial de motociclismo depois de 2020, todos os sinais na equipa cliente da Yamaha apontam para um alinhamento da dupla Rossi e Morbidelli.

“Só de ouvir isso, fico arrepiado”, confessou o jovem de 25 anos. “Conheci o Valentino quando tinha 13 anos. Nunca pensei que fosse possível. O pensamento nem sequer passou pela minha cabeça na altura, mesmo nos anos que se seguiram. Agora é uma possibilidade. Ele decidirá, e se acontecer, ficaria muito contente, para mim fecharia um círculo.”

“Franky” foi o primeiro aluno da VR46 Riders Academy, para o que ele e a sua família mudaram de Roma para as proximidades da Tavullia.

“Parece um romance e cabe-nos a nós escrever as páginas em beleza”, acrescentou Morbidelli com um sorriso.

O nove-vezes campeão do mundo Rossi não seria um companheiro de equipa como qualquer outro para o seu protegido. “Não, por várias razões, especialmente porque Vale é um amigo“, enfatizou o piloto da Petronas Yamaha.

“Conhecemo-nos há tanto tempo, treinamos juntos e vivemos no mesmo sítio. Das coisas que sei, muitas delas, aprendi com ele. Estas coisas distinguem a nossa relação com a que tenho com o Fábio [Quartararo].”

Em pista, no entanto, isso não importa. “Estes fatores, que enumerei, afetam a nossa relação pessoal, mas não diminuem o pensamento competitivo na pista. Vejo isso não só no MotoGP, mas também no rancho”, disse o italo-brasileiro. “Quando treinamos no rancho ou numa corrida de MotoGP, damos o máximo, todos querem chegar à frente do outro a qualquer preço. Essa é a beleza da amizade e do desporto.”

“Não quero dizer que quero bater o Vale mais do que o Quartararo. Mas fazê-lo tem um gosto diferente – e com isso não quero dizer melhor ou pior. Só tenho uma amizade profunda com o Valentino e essa é a diferença”, rematou Morbidelli.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MotoGP
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x