MotoGP, 2020: Jorge Lorenzo piloto de testes na Ducati: Ciabatti desmente

Por a 4 Janeiro 2020 16:00

Circulam rumores desde a passagem do ano de que Jorge Lorenzo também estaria em discussão com a Ducati como piloto de testes de MotoGP. Mas a notícia parece não ser verdade.

Há vários dias que circulam relatórios em vários portais da Internet de que Jorge Lorenzo, agora com 33 anos, e o seu empresário Albert Valera também estariam negociando com a Ducati Corse para um contrato de piloto de testes de MotoGP para a temporada 2020.O que se sabe é que o diretor geral da Ducati Corse, Gigi Dall’Igna, é um fã declarado do génio de Maiorca desde que Lorenzo apareceu a pilotar as Derbi 125 e Aprilia 250, na altura parte do Grupo de Noale.

Na época, Dall’Igna trabalhava em estreita colaboração com o espanhol como diretor de corrida de Piaggio. Nos dois anos da Ducati MotoGP em 2017 e 2018, Lorenzo venceu em Mugello, na Catalunha e Spielberg no segundo ano. E em 2017 em Sepang, ele deu ao seu companheiro de equipa Andrea Dovizioso a vitória após uma ordem de equipa.

Em Agosto passado, ficou claro que Lorenzo e Valera estavam negociando com a Ducati novamente. Chegou a ser discutido se o tricampeão mundial de 2020 poderia ser transferido para a Ducati Pramac. Com Jack Miller, havia apenas um aperto de mão e uma promessa verbal naquele momento. Miller, chegou a negociar brevemente com a KTM Red Bull em Spielberg, quando Johann Zarco denunciou o seu contrato e o lugar ficou livre.

Mas a Honda Racing Corporation não abdicou de Lorenzo, 47 vezes vencedor em MotoGP, até este anunciar a sua retirada. Os japoneses não queriam que ele fosse para outra formação ser um adversário mais forte e fizeram valer o contrato válido da HRC.

Um retorno de Lorenzo à Ducati não pareceria irracional à primeira vista após a rescisão de contrato mutuamente acordada com a HRC. Lorenzo, que tem experiência com três marcas de MotoGP, poderia certamente impulsionar o desenvolvimento da Ducati Desmosedici GP20.

Mas o diretor desportivo da Ducati, Paolo Ciabatti, veio agora negar esse boato:

“Não tem qualquer fundamento. Não é verdade que estamos a falar do Jorge como piloto de testes” assegurou Ciabatti, que atualmente está na Califórnia.

A Ducati Corse tem um contrato de longo prazo com o piloto de testes Michele Pirro, que realiza essa tarefa com a maior satisfação desde 2013. E após a partida de Casey Stoner, que reclamou que a Ducati não tinha reagido suficientemente às suas ideias há um ano, nenhum outro piloto de testes de MotoGP está sendo procurado pela marca.

Todos os especialistas acreditam que Jorge Lorenzo irá ligar-se de novo à Yamaha como piloto de testes na Yamaha Motor Racing, se ele decidir continuar a sua carreira em cima de uma moto.

Mas a Yamaha precisaria de investir uma quantia considerável de num curto período de tempo para elevar a equipa de testes europeia, que antes trabalhava em segundo plano, ao nível da Honda, Ducati, Suzuki e KTM, o que no entanto é visto com bons olhos pelo próprio Valentino Rossi:

“Na minha opinião, seria uma boa ideia fazer-lhe uma oferta. Mas primeiro é preciso entender se o Jorge quer ser um piloto de testes ”, afirmou Vale. “Se Jorge está motivado e diz que não quer ter a pressão de 20 corridas por ano, mas ainda gosta de pilotar, então faz sentido. E, na minha opinião, ele é rápido quando se trata da Yamaha.”

 

 

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png