MotoGP 2020: Feliz 100º aniversário, Suzuki!

Por a 31 Março 2020 15:00

Na história de sucesso de 100 anos da Suzuki, a competição tem desempenhado um papel vital. No momento em que a fábrica japonesa celebra o seu 100º aniversário, revemos o impacto e influência que a marca teve nos seus 60 anos de corridas de Grande Prémio. Tal como todas as grandes fábricas japonesas, o seu sucesso nas pistas de corridas permitiu-lhes desafiar as marcas estabelecidas e liderar o mundo no fabrico de motocicletas inovadoras.

Aqui recordamos os vencedores da Suzuki, dos mais recentes, incluindo Kevin Schwantz, Chris Vermeulen, Kenny Roberts Jr, Maverick Viñales e Alex Rins, aos mais clássicos como Franco Uncini, Marco Lucchinelli, Barry Sheene ou Jack Findlay.

A Suzuki sucedeu à Honda em compreender que o seu sucesso como marca dependia de êxito no desafio final, as corridas de Grand Prix. Ambas começaram por aparecer nas lendárias corridas do Tourist Trophy na Ilha de Man. Apenas um ano depois da Honda, as Suzuki competiram pela primeira vez na corrida de 1960, três voltas de 125cc, com o recentemente falecido Mitsuo Itoh.

Dois anos depois, obtiveram a sua primeira vitória em Grande Prémio quando Ernst Degner venceu a corrida de 50cc TT em volta do afamado circuito da montanha de 60,721 kms. Desde aquele dia na Ilha de Man, a Suzuki ganhou mais 157 Grandes Prémios. Incluindo a primeira vitória, venceram 30 na classe de 50cc, 35 nas 125 e 93 nas classes de 500cc/MotoGP. Degner, fugido da Alemanha oriental, seguiu a sua vitória em 1962 no TT com mais vitórias na Holanda, Bélgica e Alemanha Ocidental, trazendo à Suzuki o seu primeiro título mundial no mesmo ano.

A Suzuki liderou a revolução ao trazer a sua experiência de dois tempos para a classe 500cc que tinha sido dominada pelas quatro tempos britânicas e italianas até ai. Em 1971, o neozelandês Jack Findlay reescreveu os livros de história no Grande Prémio do Ulster.

Não só trouxe sucesso à Suzuki pela primeira vez na classe rainha, mas também conquistou a primeira vitória em dois tempos contra as quatro tempos estabelecidas.

As barreiras abriram-se, com uma lenda britânica, Barry Sheene a liderar o ataque da Suzuki na magnífica RG 500 de quatro cilindros, que se tornou a arma de numerosos pilotos privados da época, como Steve Parrish, Tom Herron, Wil Hartog, Randy Mamola, Virginio Ferrari, e muitos outros.

Até Campeões como Read, Hailwood e Agostini se renderam à versatilidade da RG500.

Sheene trouxe à Suzuki os títulos mundiais de 500cc em 1976 e 1977. Seguiu-se o italiano Marco Lucchinelli e Franco Uncini no início dos anos 80.

(continua)

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MotoGP
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x