MotoGP 2020: Ducati atenta a Joe Roberts

Por a 17 Abril 2020 14:30

A Ducati revela que está de olho no piloto de Moto2 Joe Roberts sobre a possibilidade de se tornar o primeiro piloto Americano no MotoGP desde 2016…

Numa classe que já foi tão dominada por Americanos, passaram-se quatro anos desde que os Estados Unidos tiveram pela última vez um representante na grelha de MotoGP e ainda mais tempo desde que um subiu ao pódio.

Isso tudo poderia mudar se o piloto de Moto2 Joe Roberts conseguir continuar com o seu forte início de temporada.

Embora as corridas se mantenham em pausa indefinida devido ao coronavírus, a ronda inaugural do Campeonato do Mundo de Moto2 de 2020 revelou Roberts como uma das estrelas mais inesperadas do fim de semana.

Entrando na sua terceira temporada completa de Moto2, a sua segunda com a equipa norte-americana, Roberts participou na abertura do Qatar com um melhor resultado anterior de 10º em 41 partidas, mas desafiou as expectativas ao conquistar a sua primeira pole position, liderando a corrida e acabando por terminar mesmo fora do pódio no quarto lugar.

O passo em frente foi creditado a uma nova relação de trabalho próxima com o ex-piloto de MotoGP John Hopkins, que se juntou à equipa como treinador dos pilotos durante o inverno, bem como uma mudança de chassis da KTM, que desistiu da classe, para Kalex.

De qualquer forma, a impressionante reviravolta na forma de Roberts fez muito para elevar o seu perfil junto das equipas de MotoGP, como um dos poucos pilotos americanos a competir a alto nível.

O último americano a iniciar uma corrida de MotoGP foi o falecido Nicky Hayden durante uma breve reviravolta em 2016, enquanto o último piloto norte-americano a subir ao pódio foi Ben Spies em 2011, em Valencia.

Mais recentemente, tal foi a importância adquirida pelo mercado americano que a nação chegou a realizar três eventos no calendário em 2013 e tem mantido pelo menos um desde então.

No entanto, o conjunto de talento que nos deu Freddie Spencer, Eddie Lawson, Wayne Rainey, Randy Mamola, Mike Baldwin, Kevin Schwantz e Kenny Roberts Sr. e Jr. secou nos últimos anos, tornando a ascensão florescente de Roberts um grande momento para o MotoGP, sem dúvida ansiosos por ter alguma influência outra vez no mercado americano.

É uma opinião defendida pelo diretor desportivo da Ducati, Paolo Ciabatti, que admite que o fabricante está a acompanhar Roberts de perto para o futuro.

“É verdade que o mercado americano é muito importante para a Ducati e também é verdade que temos uma certa ligação com os pilotos americanos”, disse o Italiano recentemente.

“Conheço o Joe há muito tempo, porque ele foi-me apresentado há quatro ou cinco anos por um dos meus amigos em comum que é um descobridor de talentos, por isso já o conheço há algum tempo.”

“No ano passado, o Joe teve uma temporada abaixo das expectativas porque partilhou a sua equipa com Iker Lecuona, que teve boas corridas. Ainda bem que se tornou o piloto que vimos no Qatar. Tem um grande talento.”

“Este ano, com a chegada de John Hopkins como treinador, além de a equipa ter agora mais um ano de experiência e usar uma Kalex, permitiu-lhe mostrar o que pode fazer. Foi forte em todos os testes e confirmou-o com uma grande corrida no Qatar.”

“Acho que amadureceu muito e agora tem uma moto à altura da concorrência, com uma equipa que inclui vários técnicos italianos. Portanto, tem as melhores condições para expressar o seu talento.”

Roberts não só é o único piloto americano em Moto2, como é o único piloto norte-americano a competir em qualquer uma das quatro classes de GP atualmente.

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x