MotoGP 2020: Como se darão os rookies de 2019?

Por a 28 Janeiro 2020 14:30

Chegou a hora dos rookies de MotoGP de 2019 brilharem. 2020 é um ano vital para Fabio Quartararo (Yamaha Petronas SRT), Joan Mir (Suzuki Ecstar), Francesco Bagnaia (Ducati Pramac Racing) e Miguel Oliveira (KTM Red Bull Tech 3), pois cada um estará armado com um protótipo de fábrica nesta temporada.

Começar bem logo no início da temporada nunca foi tão importante no MotoGP. As negociações de contrato para 2021 serão um tema quente na temporada de abertura da década; portanto, para os pilotos no seu segundo ano, são obrigatórios bons resultados desde o início.

Quartararo, o Rookie do ano de 2019, terá muitos olhos fixos nele no início desta temporada. Sete pódios e seis poles, com a sua pole em Jerez a torna-lo no mais jovem de todos os tempos a fazê-lo na categoria rainha, viu o francês reivindicar o 5º lugar final. E agora a bordo de uma YZR-M1’A-spec’ com o companheiro de equipa Franco Morbidelli, desafiar pela vitória desde o início é o que ‘El Diablo’ espera.

O homem de fábrica da Suzuki, Mir, foi outro estreante impressionante em 2019, especialmente na segunda metade da campanha. O espanhol perdeu o top 10 apenas uma vez nas sete corridas finais, depois de voltar de uma lesão sofrida num acidente monstruoso durante o Teste de Brno. Mir mostrou várias vezes o que pode fazer e, com um ano de experiência, e uma GSX-RR em constante melhoria, Mir pode esperar estar nas cinco principais posições e potencialmente até mais desde o início.

O Campeão do Mundo de Moto2 de 2018 Bagnaia teve uma campanha na classe rainha mais complicada. O GP da Austrália foi um ponto de viragem para o italiano, terminando alguns centímetros atrás do companheiro de equipa Jack Miller e perdendo por pouco o seu primeiro pódio de MotoGP.

Infelizmente para Bagnaia, a sua temporada terminaria com uma lesão no pulso esquerdo em Valencia, forçando-o a perder a última corrida de 2019 e os testes de pré-temporada de 2020 em Valencia e Jerez.

Felizmente, parece que Bagnaia já está ansioso por Sepang, armado com uma GP20 da Ducati, a mesma máquina usada por Andrea Dovizioso e Danilo Petrucci na equipa oficial da Ducati, e Miller na Pramac. Um possível lugar de fábrica da Desmosedici estará em disputa, e poderia ser Bagnaia a reivindica-lo.

O impressionante Miguel Oliveira teve uma primeira temporada mista na categoria rainha. O destaque? Um fenomenal 8º em casa na Áustria, à frente dos fãs da KTM, um sinal do que está por vir em 2020, talvez.

No entanto, um acidente em Silverstone sem culpa própria danificaria o ombro de Oliveira e, depois da queda violenta da curva 1 em Phillip Island, foi tomada a decisão de que o percurso do português acabasse com uma operação. Da mesma forma que Bagnaia, Oliveira perdeu os testes iniciais de pré-temporada de 2020, logo o Teste de Sepang será vital, pois Oliveira prepara-se para ter nas mãos uma KTM de 2020 que ainda desconhece.

As primeiras indicações de como estes ex-rookies se vão dar no seu segundo ano serão vistas no Teste de Sepang, de 7 a 9 de Fevereiro…

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png