MotoGP, 2020: Bend Motorsport Park, concorrência para Phillip Island

Por a 2 Janeiro 2020 14:30

A Dorna espera que o promotor do GP de Phillip Island entenda a necessidade de alterar a programação de 2021, adiantando a data do GP da Austrália, como já noticiámos. Caso contrário, o chefe da Dorna, Carmelo Ezpeleta, poderá decidir mudar para o novo e atraente circuito “The Bend”, em Adelaide.

O calendário do MotoGP pode ser todo alterado em 2021, porque o GP da Austrália em Phillip Island no final de Outubro (ou seja, na instável primavera australiana) está associado a riscos climáticos excessivos: ventos fortes, chuva torrencial e o oceano a toda a volta fazem da sede do GP da Asutrália um risco na altura em que est esse disputa, como vimos com o grave acidente que vitimou Miguel Oliveira, provocado pelo vento forte e que levou mesmo à paragem dos treinos o resto do dia este ano.

Assim, a Austrália poderia começar a temporada de MotoGP em 2021, como fez de 1993 a 1995 (então em Eastern Creek, perto de Sydney).

A Dorna espera reunir com o promotor, a Australian Grand Prix Corporation (AGPC) e o seu CEO Andrew Westacott, que também hospeda o GP de Fórmula 1 em Albert Park, em Melbourne.

A AGPC tem contrato para cereber o GP da Austrália até 2026 inclusive.

Mas, além do polémico evento de Outubro, a infraestrutura desatualizada em Phillip Island, com boxes muito pequenas, os espaços de estacionamento das equipas em prados não pavimentados e o acesso ao paddock em estradas de cascalho dão sempre azo a discussões.

No entanto, atualmente não há alternativa real a Phillip Island para a localização do GP da Austrália. Mas é claro que o contrato de longo prazo com a Dorna só é válido se a homologação FIM de grau A for estendida até então. E a homologação só foi emitida para o próximo evento por um ano – uma lição aprendida com o desastre de Silverstone em 2018.

O circo dos GP já antes virou costas a Phillip Island na era da Dorna – de 1992 a 1996, ele foi realizado em Eastern Creek, perto de Sydney, por cinco anos.

Não é segredo: antes do GP de Phillip Island de 2019, o CEO da Dorna, Carmelo Ezpeleta, e o filho Carlos (que atua como diretor desportivo) aproveitaram para parar em Adelaide e inspecionar a nova pista de corrida “The Bend Motorsport Park”, porque existe Um evento da Idemitsu Asian Talent Cup que será ali realizado em 10 de Maio de 2020.

Isso coloca a nova e atraente localização “The Bend” em destaque internacional. Já em 2020, uma corrida da Asia Le Mans Series será realizada lá em Janeiro.

“The Bend” não tem nada a ver com o antigo circuito de rua em Adelaide, no qual o GP da Austrália de Fórmula 1 foi realizado de 1985 a 1995. Em 1986 e 1994, o Campeonato Mundial de F1 foi decidido no circuito de rua da cidade.

Naquela época, o circuito consistia principalmente de estradas normais fechadas para a ocasião.

As bancadas eram montadas temporariamente para o evento – como foi o caso do GP de Sachsenring. Somente a última e a primeira seção antes da largada e chegada em linha reta, localizadas no hipódromo de Victoria Park, foram projetadas como uma pista de corrida permanente desde o início. O circuito de F1 percorria um perímetro de 3.780 m e tinha 16 curvas.

A nova arena “The Bend Motorsport Park” é facilmente acessível a partir de Adelaide, e os operadores do traçado e o governo de Nova Gales do Sul estão planeando a longo prazo. Eles querem levar o maior número possível de corridas atraentes para Adelaide e regressar aos grandes negócios internacionais.

O traçado oferece oito configurações diferentes. A versão mais longa é chamada “GT Circuit” e tem 7,7 km de comprimento. O “Circuito Internacional” tem um diferencial de altitude de 85 metros, estende-se por 4,95 km e tem 18 curvas.

“The Bend” já recebeu corridas de Supercarros australianos V8 e do Australian Superbike Championship. A homologação para o grau 2 da FIA está disponível. Existe até uma homologação de “Categoria A” da FIM.

“A visão dos responsáveis ​​pelo ‘The Bend Motorsport Park’ é ser um local de classe mundial e receber eventos de nível internacional”, enfatiza Sam Shahin, diretor administrativo do ‘The Bend’. “Com a Idemitsu Asian Talent Cup, estamos a organizar uma emocionante série de corridas de motos em 2020. A nossa pista apresentará desafios para os pilotos”.

Shahin já está lançando o tapete vermelho da Dorna para campeonatos mais atraentes (como SBK e MotoGP). “Estamos muito satisfeitos com a Dorna, a organização de primeira classe por trás da Asian Talent Cup”, disse o CEO.

O chefe da Dorna, Carmelo Ezpeleta, prefere o maior número possível de operadores competitivos de pistas de corrida com circuitos espetaculares no mesmo país, porque isso pode resultar em taxas mais altas para os eventos.

A Australian Grand Prix Corporation (AGPC) tem de se precaver, pois depois de muitos anos sem alterações, terá que conceder à Dorna uma data para o MotoGP em Fevereiro de 2021, porque há anos que em Outubro o clima é muito volátil.

Até agora, a AGPC não queria uma data de MotoGP no início do ano porque o GP da Fórmula 1 tem prioridade em Março e evitavaem ter dois eventos próximos.

Mas apenas com uma mudança de MotoGP para Fevereiro, há boa hipótese de Phillip Island permanecer o local do GP da Austrália até 2026 ou mesmo além.

O AGPC não deve se sentir muito seguro, porque um contrato de longo prazo é uma coisa, mas a homologação FIM grau A é outra.

A homologação também inclui certos requisitos mínimos de infraestrutura – número e qualidade de vagas de estacionamento para as equipas, tamanho e número de boxes, instalações sanitárias, estradas de acesso e assim por diante.

A esse respeito, Phillip Island tem sido incapaz de acompanhar as pistas modernas, como Austin, Buriram, Spielberg, Assen, Catalunha, Sepang, Portimão e assim por diante. Ainda mais milhões foram investidos no Sachsenring e em Brno recentemente, isolando ainda mais o antiquado traçado Australiano.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png