MotoGP 2020: Aprilia prepara-se para a nova moto na Malásia

Por a 12 Janeiro 2020 15:00

O chefe da Aprilia, Massimo Rivola, chama a moto de MotoGP de 2020 da sua equipa “um projeto ambicioso”, com mudanças abrangentes a chegar. A RS-GP nova deve ser a máquina de MotoGP de 2020 com maiores mudanças, pois precisa de diminuir a diferença de desempenho para os seus rivais.

Tendo lutado na parte de trás do pelotão de MotoGP, apesar da chegada do novo projeto da KTM na categoria rainha, o CEO da Aprilia Racing Rivola tem supervisionado uma transformação dentro da equipa, propriedade do Grupo Piaggio, desde que chegou da Fórmula 1 há 12 meses.

Embora os métodos de trabalho e o recrutamento tenham sido mudanças iniciais para ajudar a Aprilia a desenvolver-se de maneira mais rápida e eficaz, a nomeação de Rivola também libertou o engenheiro-chefe Romano Albesiano para se concentrar mais na moto em 2020.

O foco no desenvolvimento tem-se concentrado num novo motor e na integração do pacote eletrónico, com relatórios apontando para um V4 de 90 graus com o objetivo de proporcionar maior velocidade máxima e travagem motor, o que significa que a Aprilia de 2020 atrairá muito interesse quando for estreada em Sepang durante o teste oficial.

Com a Aprilia adiando a chegada de sua nova moto até os testes de Fevereiro, o que significa que apenas um programa limitado de desenvolvimento pode ser concluído nos testes pós-temporada de Valencia e Jerez, em Novembro passado, Rivola aceita que será necessário tempo para acelerar o novo pacote para a temporada de 2020 .

“Temos um projeto ambicioso à nossa frente e sabemos que não somos tão grandes como os nossos concorrentes, mas pensamos que há um longo caminho à nossa frente e estamos bastante otimistas de crescer”, disse Rivola na altura em Valencia.

“Posso dizer que este último ano, pelo menos, vimos alguns bons sinais de crescimento da equipa e no desempenho. Queremos ver isso ainda mais no próximo ano.”

“Vamos ver a nova moto na Malásia em Fevereiro e estamo-nos preparando para isso, pois é um programa bastante ambicioso. Com esta moto, há muitos componentes eletrónicos para configurar e que podem ser transferidos para a nova moto.”

“Acho que temos muito a aprender. Ouvi dizer que muitos concorrentes estão procurando melhorar em áreas específicas, mas temos o motor, a eletrónica e muitas outras áreas para melhorar, por isso precisamos de um pouco mais de tempo. ”

Aleix Espargaró recebeu bem as mudanças depois de frustrado com os atrasos da Aprilia em reforçar as suas fileiras, o que, em combinação com a equipa italiana adiar a estreia da moto de 2020 até os testes de Sepang, significa que ele tem tempo de pista limitado para se adaptar à nova RS-GP.

Esperando liderar a Aprilia no grelha de MotoGP, Espargaró já conseguiu extrair o máximo de maquinaria inferior durante grande parte da sua carreira na categoria rainha, incluindo no ano passado, quando conquistou o sétimo lugar em Aragón – apenas superado pelo sexto lugar de Andrea Iannone na mesma Aprilia em Phillip I

Mas com os melhores resultados dele e Iannone em circuitos onde as fraquezas da RS-GP na potência e travagem motor são minimizadas pelas caraterísticas do traçado, o espanhol comenta:

“Chegaram dois ou três mecânicos, mais dois aerodinâmicos e outro técnico de chassis “, disse Espargaró no mês passado. “Portanto, mais de seis novas pessoas de lugares muito competitivos aderiram ao projeto, com novas ideias. Eles vão ajudar muito o Romano, e sua equipa técnica fica muito mais forte.”

“Por isso não há desculpas. Estávamos a precisar disso e espero que a nova moto e as idéias que eles tragam ajudem.”

“Mas temos que ser um pouco pacientes, porque, com a chegada do Rivola em 2020, parece que vamos mudar muitas coisas dentro da Aprilia – uma nova moto, muitos engenheiros a juntar-se ao projeto, nisso dou todo o crédito à Aprilia.”

“Espero que a nova moto que chega à Malásia seja muito melhor e eu já lhe disse que para os próximos anos temos de reajustar os tempos e a nova moto deve chegar mais cedo.”

“Como [em 2020] teremos seis dias de testes com a nova moto antes do fim-de-semana de corrida no Qatar, está tudo um pouco no limite”.

A Aprilia tem a complicação adicional da possível irradiação de Iannone na temporada de MotoGP de 2020, com o piloto italiano à espera do veredito da FIM depois de falhar um teste antidoping no MotoGP da Malásia do ano passado.

Se a suspensão não for revogada, ele ficará de fora, o que poderia fazer com que Aprilia se voltasse para o piloto de testes Bradley Smith ou até Karel Abraham, que foi recentemente abandonado pela Avintia Ducati.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png