MotoGP, Aragón: Aleix Espargaró diz “Sempre o mesmo!”

Por a 19 Outubro 2020 16:30

Um Aleix Espargaró desiludido disse depois do GP de Aragón: “Não ultrapassei um único piloto na corrida.”  O piloto não vê progressos decisivos recentes na Aprilia de MotoGP .

A 9ª posição foi a segunda melhor posição na grelha da temporada para Aleix Espargaró, mas o piloto da Aprilia, no domingo, estava longe de estar satisfeito com o resultado final em MotorLand Aragón.

“Foi uma corrida difícil”, suspirou. “O meu arranque foi bom, mas depois dois pilotos tocaram-se à minha frente e perdi muitas posições. O ritmo não foi um desastre, mas eu não tinha a velocidade que tenho tido nos outros dias.”

E acrescentou: “Tivemos muitos problemas no fim-de-semana e não conseguimos dar muitas voltas com o pneu traseiro. Tivemos grandes problemas de tração de novo. Tentei de tudo, tentei manter-me concentrado durante toda a corrida, dei o meu melhor. Mas só consegui ganhar tempo nos travões, não ultrapassei um único piloto na corrida, exceto o Petrucci, mas só porque o meu irmão lhe tocou e ele saiu de pista. Não conseguia ultrapassar. É um pouco frustrante”, confessou o irmão Espargaró mais velho.

“No final, não acho que o ritmo tenha sido mau, mas é claro que a posição não é boa. Dei o meu melhor e dei tudo desde a primeira volta até ao fim. Fiquei a menos de um segundo, atrás dos tipos da KTM. Mas foi o máximo hoje, não podia ser mais rápido.”

O novo motor também não trouxe uma reviravolta significante. “Sim, comecei com um motor fresco. Ainda é impossível ultrapassar na reta, claro, mas pelo menos não estou a perder nada com o vento”, disse o espanhol de 31 anos.

“O problema é que, se eles se colam atrás de mim no cone de ar, ultrapassam-me. Mas tenho que dizer que pelo menos não vou perder nada se ninguém for mesmo atrás de mim.”

Referindo-se à segunda parte da dupla prova de Aragón, o GP de Teruel no próximo fim-de-semana, Aleix disse:

“É uma pista que adoro, por isso é bom correr duas corridas aqui. Mas para mim não é fácil manter-me positivo porque não consigo conduzir mais depressa como gostaria. Há um limite, eu puxo como louco, dou tudo, mas o resultado é sempre o mesmo”, lamentou o ponta de lança da Aprilia.

“Em algumas corridas, a KTM luta pelo pódio, noutras a Suzuki ou a Ducati. Mas nós acabamos sempre a 10 ou 12 segundos do vencedor. Não é muito longe, mas é sempre assim. Claro que isso não me satisfaz!”

5 1 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x