MotoGP, 2021, Jerez: Viñales mais rápido após 101 voltas no Teste de Jerez

Por a 3 Maio 2021 19:00

Todos os pilotos da MotoGP, menos Quartararo e Bradl voltaram ao traçado Andaluz para um dia de testes crucial

Maverick Viñales (Yamaha Monster Energy) completou o equivalente a quatro GPs mais uma volta esta segunda-feira no Circuito de Jerez-Angel Nieto para terminar mais rápido no Teste de Jerez.

O espanhol marcou um 1:36.879, quase três décimos mais rápido do que na qualificação, para terminar o dia 0,034s à frente de Alex Rins e 0,431s à frente de Joan Mir (ambos Suzuki Ecstar). 

Para o colega de equipa de Viñales Fabio Quartararo, depois dos problemas enfrentados no Grande Prémio de Espanha de domingo, foi um dia ausente. O francês sofreu graves problemas com um inchaço de braço e vai fazer alguns exames antes do próximo GP.

O nosso mais recente vencedor da corrida, Jack Miller (Ducati Lenovo Team), regressou directamente ao trabalho na segunda-feira, e ele e o companheiro de equipa líder do Mundial Francesco Bagnaia completaram um total combinado de 84 voltas, um dia depois de assegurarem o primeiro 1-2 da fábrica de Bolonha desde Brno em 2018.

O dia de Rins terminou à hora do almoço, depois de o espanhol ter completado 59 voltas. A estrela Suzuki disse ter testado o motor de 2022, tal como ele, Mir e o piloto de testes Sylvain Guintoli fizeram no Teste do Qatar e que ele e a equipa conseguiram encontrar algumas melhorias no ritmo.

Rins confirmou que vai ter o seu ombro direito examinado depois de sentir alguma dor após a sua queda no TL4, para ver se está tudo bem. O seu tempo mais rápido no teste foi um par de décimos mais rápido do que na qualificação.

O dia de Marc Márquez (Honda Repsol) também terminou mais cedo, o oito vezes Campeão do Mundo fez um total de apenas sete voltas, pois continua a sentir os efeitos da sua enorme queda no TL3. Márquez explicou que o seu braço e ombro direitos estavam muito rígidos esta manhã, e descobriu imediatamente que estava muito limitado na moto.

O companheiro de equipa Pol Espargaró ficou desapontado com os “pacotes diferentes” utilizados pela Honda durante o GP de Espanha, pelo que foi um dia crucial no escritório para o número 44, pois completou muito trabalho na sua RC213V, apesar de uma queda prematura na Curva 1.

89 voltas e a segunda Honda mais rápida foram o resultado de Pol Espargaró e o espanhol foi o sexto mais rápido nas folhas de tempos.

O seu melhor tempo de 1:37.506 foi um pouco menos que o seu tempo de qualificação no sábado passado, mas foi mais do que apenas um dia de definição de tempos rápidos.

A seguir em 7º, e de longe a melhor KTM, pois Binder foi apenas 11º, ficou Miguel Oliveira. Ambos os pilotos da KTM Red Bull Factory Racing, Brad Binder e Miguel Oliveira, tinham um chassis diferente para experimentar.

Cada curva dessas 89 voltas foi incrivelmente importante para Espargaró e a HRC, uma vez que procuram encontrar melhorias para o resto da temporada, com os seus quatro pilotos a usarem carenagens lisas de carbono a dado momento.

No caso de Espargaró, o número 44 foi visto em menos três motos HRC diferentes, a sua de série, uma com uma carenagem diferente e uma completamente de carbono.

Ao todo, a Honda teve cinco pacotes de aerodinâmica diferentes no Teste de Jerez, com Alex Márquez (Honda LCR Castrol) a usar um semelhante ao que tinham em 2018. É seguro dizer que foi um dia atarefado para os gigantes japoneses.

Danilo Petrucci da KTM Tech3 Factory Racing foi visto a ostentar uma área de tanque/assentos diferente, o italiano aparentemente a tentar alguma ergonomia para melhorar a sua sensação na RC16.

A próxima vez que virmos os pilotos de MotoGP em pista será em Le Mans, onde veremos se alguém deu passos em frente após um dia de testes atarefado.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x