Moto2: Folger quer regresso em 2020

Por a 9 Julho 2019 15:00

Após as participações na equipa da Yamaha Petronas Sprinta, Jonas Folger voltou a apostar em garantir um lugar de Moto2 a tempo inteiro para 2020.

Embora o alemão – piloto de testes de fábrica da Yamaha, após a sua carreira no MotoGP ter sido prematuramente suspensa por doença – não tenha marcado pontos nas três corridas na Petronas, mostrou a sua forma anterior ao liderar o FP1 em Sachsenring e teve ritmo para andar em corrida dos dez primeiros…

“Estou muito satisfeito com o meu desempenho e foi uma grande experiência para mim, pessoalmente, estar no Sachsenring novamente”, disse Folger, que se classificou em 20º e terminou em 17º lugar na sua substituição final do lesionado Khairul Idham Pawi.

“Este fim-de-semana foi muito melhor do que Assen e Barcelona. Estou feliz porque melhorei significativamente a minha pilotagem e também porque consegui ser mais agressivo e tive muito mais confiança”.

“Estou a voltar gradualmente ao modo de corrida… E o espírito de luta está a voltar”.

“O meu ritmo teria sido suficiente para terminar entre os dez primeiros e acabei a 18s do vencedor da corrida. Para a terceira corrida desde o meu regresso, está bem”.

“Agora é uma questão de focar muito mais a treinar na actual classe de Moto2 com os novos motores Triumph. Só tenho de aumentar a sensação que tenho deste pacote e das suas características.”

“Este também deve ser o primeiro passo para os preparativos para o próximo ano, pois tomei a decisão de querer correr novamente na Moto2 e espero encontrar uma equipa tão boa como esta.”

“Quer correr novamente, percebi durante as últimas três corridas que o fogo ainda está lá.”

“Ocasionalmente mostramos muito claramente que há potencial para andar à frente mas isso leva tempo. Essa etapa não pode ser feita após um ano e meio de folga em apenas três corridas.”

“Mas percebi que a paixão foi reacendida e que logo poderei retornar à minha antiga força.”

“Portanto, a partir de agora vou intensificar o meu treino e fazer tudo o que estiver ao meu alcance para encontrar um pacote competitivo para o próximo ano. Eu realmente quero voltar a este campeonato.”

“Finalmente, agradeço a todos que fizeram este regresso temporário possível. À equipe da Petronas pela calorosa receção e novamente à Yamaha por me darem a permissão para correr nestas três corridas.”

“Parabéns ao Marcel [Schrotter]. Fico feliz por ele poder finalmente desfrutar dessa sensação indescritível de estar no pódio na corrida em casa.”

A Petronas tem atualmente apenas uma moto na Moto2, mas sabe-se que está à procura de uma segunda moto na grelha para 2020. E se isso acontecer, Folger certamente estará na lista de possíveis pilotos…

“Foi bom ver a progressão dele com a equipe e vê-lo feliz e sorrir de novo”, disse o diretor da equipe de Sepang, Johan Stigefelt, sobre Folger.

“É uma pena não podermos continuar com ele, mas, ao mesmo tempo, será ótimo recuperar o Pawi em Brno.”

“Quero agradecer ao Jonas por ser tão profissional e ajudar a equipa a reunir um feedback crucial e tornar a moto mais competitiva.”

Folger venceu três vezes na Moto2 antes de se juntar à MotoGP com a Tech3 Yamaha em 2017, onde subiu ao pódio antes da sua carreira na categoria rainha ter terminado subitamente devido a sérios problemas de fadiga.

Embora Folger tenha manifestado interesse em fazer um Wild Card de MotoGP para a Yamaha, até agora nada foi anunciado.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Moto2
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png