MotoGP: Miguel Oliveira vive o sonho

Por a 20 Novembro 2018 16:30

Está  fechado o primeiro dia de testes oficiais, de preparação da nova época, para os pilotos e equipas de MotoGP.  Como já é habitual o circuito Ricardo Tormo, palco no passado fim de semana do GP da Comunidade Valenciana, deu o pontapé de saída no arranque dos trabalhos referentes a 2019.

A chuva que já havia condicionado o último Grande Prémio de 2018 foi também factor condicionante neste primeiro de dois dias de trabalho. O facto de ter chovido durante a noite fez com que a acção em pista tardasse a surgir, pois o asfalto encontrava-se molhado, e à tarde voltou a chover, o que prejudicou novamente o trabalho de todos os intervenientes, que viram a jornada terminar mais cedo.

Foi assim que Miguel Oliveira teve o seu primeiro dia como piloto de MotoGP. O reforço da nova KTM Tech 3 esteve pela segunda vez na sua carreira aos comandos de um protótipo da classe maior, depois de Aragão 2017, e mostrou uma evolução aos comandos da RC16, melhorando o seu tempo pessoal em cada passagem pela meta. No final do dia quedou-se pelo 25º posto (1m35.118s), logo atrás do colega Hafizh Syahrin, numa jornada onde Francesco Bagnaia, atual campeão do mundo de Moto2 e grande rival de Oliveira neste ano de 2017, foi o melhor estreante ao ficar com a 11ª posição. Para amanhã espera-se que o vice-campeão do mundo de Moto2 e agora #88 continue a sua ascendente curva de aprendizagem.

Quanto ao topo da folha de tempos teve como principal protagonista Maverick Viñales com um crono de 1m31.416s, repetindo aquilo que já havia feito nos testes oficiais de 2016 neste mesmo traçado. Aí na estreia com a Yamaha surpreendeu tudo e todos ao ser o mais forte. Parece ter trazido, desde já, energia positiva a mudança de número do piloto espanhol, que deixou o tradicional #25 para passar a ser o #12.

O espanhol obteve este tempo durante a tarde e bateu o campeão do mundo Marc Márquez por 0.302s. O espanhol, neste dia, teve a oportunidade de rodar com a primeira versão da nova Honda RC213V. Seguiram-se Valentino Rossi, que evidenciou a boa forma da Yamaha com um novo motor na M1, e Andrea Dovizioso. Stefan Bradl, piloto de testes da Honda, mas aqui em representação da LCR (substituindo o lesionado Cal Crutchlow), completou o top cinco. Porém o germânico ficou a mais de meio segundo de Viñales.

Este dia inaugural dos testes de pré-época ficou igualmente marcado pela estreia de Jorge Lorenzo, Andrea Iannone e Johann Zarco com Honda, Aprilia e KTM, respetivamente. Palavra também para Jonas Folger, atual piloto de testes da Yamaha Europa, que regressou ao convívio dos grandes após uma ausência superior a um ano devido a doença. Outro regressado foi Tito Rabat que esteve praticamente três meses de fora devido à fratura de uma perna na sequência de uma queda no Grande Prémio da Grã-Bretanha.

Entre as equipas, a Petronas Yamaha SRT, nova formação satélite do triplo diapasão, fez a sua estreia com Franco Morbidelli (interessante sexto), melhor estreante em 2018, e o ‘rookie’ Fabio Quartararo, que em conjunto com Miguel Oliveira, Joan Mir e Francesco Bagnaia desenha o lote de pilotos que chega do Moto2.

Amanhã o segundo e último dia de testes no circuito Ricardo Tormo começa novamente às 9h00 e terminará às 16h00, hora de Portugal Continental.

Classificação:

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Destaque Homepage
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x