MotoGP: Miguel Oliveira a adaptar-se, Danilo Petrucci surpreende

Por a 28 Novembro 2018 16:43

Ponto final no primeiro de dois dias de testes oficiais do MotoGP no circuito de Jerez-Ángel Nieto, naquele que será o último apronto antes da longa pausa de inverno, que começa já no início de dezembro e irá estender-se até ao final de janeiro.

Hoje pela frente os pilotos tiveram novamente oito horas de treino, sendo que só houve acção em pista após duas horas, pois as baixas temperaturas (asfalto e ar) que se fizeram sentir pela manhã deixaram pilotos e motos no ‘quentinho’ das boxes.

Num dia em que o sol esteve sempre presente, Miguel Oliveira fechou a jornada em 23º entre os 24 pilotos que estiveram em pista. O piloto da KTM Tech 3 completou 61 voltas durante o dia e foi melhorando com o decorrer do mesmo. No final ficou com o tempo de 1m41.699s, marca que ficou a pouco mais de um segundo do seu colega Hafizh Syahrin, que tal como Oliveira está ainda a conhecer os cantos à KTM RC16, não obstante contar já com um ano de MotoGP, mas aos comandos de uma Yamaha M1.

A KTM teve um dia difícil em Jerez, pois Johann Zarco continua a estar longe dos primeiros lugares. É verdade que estes ainda são os primeiros quilómetros de uma pré-época, mas o gaulês foi apenas 19º e a mais de dois segundos do primeiro posto. Muito trabalho tem Zarco pela frente, enquanto Pol Espargaró, maior conhecedor da KTM, também não fez muito melhor ao ser apenas 15º.

Quanto ao cimo da tabela, este ficou entregue à Ducati e curiosamente numa pista onde tradicionalmente as Demosedici nem costumam ser das motos mais velozes. Danilo Petrucci, o único a entrar no segundo 37, impressionou tudo e todos e bateu por 0.217s o colega Andrea Dovizioso, que não evitou uma queda nos instantes finais da sessão.

Seguiu-se um surpreendente Takaaki Nakagami, que foi muito competitivo com a Honda RC213V versão de 2018 e que foi pilotada durante o ano pelo colega de equipa e agora lesionado Cal Crutchlow. O homem da LCR Honda ficou na frente de Maverick Viñales, melhor Yamaha na estreia do novo responsável de moto Esteban García, e Marc Márquez, pilotos que chegaram a liderar a tabela de tempos durante o dia.

Nota ainda para a continuação das boas indicações trazidas de Valência por Franco Morbidelli, sexto, sendo que Jorge Lorenzo, que testou um novo depósito na Honda, foi sétimo e parece continuar a adaptar-se positivamente à nova moto. Já Valentino Rossi teve um dia muito discreto. Foi o último a sair das boxes, teve um problema técnico na sua Yamaha M1, e fechou dia num distante 17º lugar. Pneus novos pouco competitivos atrapalharam os planos de ‘II Dottore’.

Por último destaque para Joan Mir, o primeiro a sair para a pista, que ao colocar a sua Suzuki em 10º foi  o melhor estreante. Isto apesar de não ter evitado uma queda, sem consequências físicas, que obrigou, por momentos à interrupção da sessão, e consequente passagem do espanhol pelo centro médico do circuito. Neste dia, Mir ficou inclusive à frente do seu colega Álex Rins, somente 13º. Rins foi o homem que mais voltas completou ao passar 87 vezes pela linha de meta.

Amanhã o dia arranca novamente às 9h00, hora de Portugal Continental, e irá prolongar-se ate às 17h00, naquele que será o último teste do ano.

Classificação:

2
Deixe um comentário

Please Login to comment
1 Comment threads
1 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
rodsilva79FanMotores Recent comment authors
recente antigo mais votado
FanMotores
Membro
FanMotores

isto é muito mau!! As ktm nem com as Aprilias se batem! o Miguel a 1s do colega, quando o Mir é 10º e bate o Rins. O Bagnaia e o Quartararo lá para cima. Já desconfiava que era uma muito má aposta. Na pior mota, nem sequer na equipa oficial, numa equipa em que tudo é novo, mota, pilotos, etc. Vai ser muito difícil o Miguel não sair queimado. Mais um ano a marcar passo e nem sei se, com uma “lambreta” destas vai conseguir ao menos dar nas vistas e se for, é a lutar pelo 20º lugar.… Ler mais »

rodsilva79
Membro
rodsilva79

“a carreira do Miguel tem sido muito mal gerida” No país dos gatos pingados, praticamente sem apoios portugueses: Vice-campeão de Moto3; Vice-Campeão de Moto2, lugar numa equipa com décadas de experiência e virtualmente de fábrica no MotoGP. Não só é o primeiro português a competir a este nível como foi praticamente o único. Sim, o único. Isto, em futebolês, só encontra paralelo na ida da Islândia aos oitavos do Europeu 2016. O Mir foi 10º? Parabéns à prima, vai em 1º no campeonato do faz-de-conta e já mandou uma mota para o estaleiro. Queremos todos o melhor para o rapaz… Ler mais »

últimas Destaque Homepage
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png