Moto2: Miguel Oliveira encerra dia em terceiro

Por a 16 Novembro 2017 17:02

Chegou ao fim o primeiro de dois dias de testes privados de Moto2 no circuito de Jerez e que marcam o arranque dos trabalhos de preparação para a temporada de 2018. Presentes no traçado estiveram 25 pilotos em representação de 13 equipas diferentes, onde o destaque vai naturalmente para o ‘nosso’ Miguel Oliveira.

O piloto da Red Bull KTM, que testou um novo chassis, fechou este primeiro dia de trabalho no terceiro lugar, isto apesar de ter passado pela liderança da sessão. Oliveira completou 76 voltas e assinou a sua melhor marca à 26ª passagem pela linha de meta, onde obteve o tempo de 1m42.314s, marca que bate em quase 0.1s o seu tempo na qualificação para o GP de Espanha, neste mesmo circuito, em maio último. Este crono foi obtido na parte da manhã, sendo que durante a tarde o vice-campeão do mundo de Moto3 em 2015 foi o único piloto da frente que acabou por não melhorar o seu registo.

No topo da tabela de tempos ficou o estreante do ano em Moto2, Francesco Bagnaia. O piloto da Sky VR46 foi o único a entrar no segundo 41 com o tempo de 1m41,873s, marca que bateu em pouco mais de 0.2s o tempo da pole do GP de Espanha, que foi obtida por Álex Márquez. Precisamente o irmão mais novo de Marc Márquez quedou-se pelo segundo posto a 0.293s de Bagnaia numa jornada onde também passou pelo primeiro lugar.

Já Luca Marini foi quarto na estreia aos comandos da Kalex da Sky VR46, equipa que esteve muito forte nesta primeira abordagem ao novo asfalto do circuito de Jerez. O top cinco ficou completo pelo colega de Miguel Oliveira, Brad Binder, piloto que está cada vez mais adaptado ao Moto2.

Nota ainda para o positivo sexto lugar de Isaac Viñales. Durante todo o dia o primo de Maverick rodou entre os primeiros e no final obteve um crono que supera em mais de 1.5s o tempo da qualificação no último mês de maio e onde também estava aos comandos da Kalex da SAG Team.

Este primeiro dia de ensaios em Jerez de la Frontera teve também como destaque os regressos de Sam Lowes e Héctor Barberá à classe intermédia depois de passagens pelo MotoGP. Numa sessão que serviu essencialmente para sentir novamente o pulso a uma outra realidade, o primeiro quedou-se pelo 10º lugar, enquanto Barberá, que estreou-se na denominação Moto2, foi 15º. No caso de Lowes este e o seu colega de equipa, Iker Lecuona, tornaram-se nos primeiros pilotos em Moto2 a rodar com motos da KTM sem estarem ligados à formação de Mattighofen.

Outro facto do dia foi a estreia de Joan Mir e Romano Fenati aos comandos de um protótipo de Moto2. O atual campeão do mundo de Moto3 e vice-campeão fecharam o treino em 14º e 24º, respetivamente. O tempo alcançado por Mir, 1m43.270s, iria permitir ao piloto da Marc VDS sair da 15ª posição para o GP de Espanha. Nada mau para aquele que foi o melhor estreante em pista. O facto de representar a Marc VDS, equipa que sagrou-se recentemente campeã do mundo por intermédio de Franco Morbidelli, é também um factor que contribui para esta boa demonstração na chegada ao Moto2.

Nota também para Tetsuta Nagashima, que completou o maior número de voltas (108), e o regressado Danny Kent que deixou uma das duas Speed Up no 16º lugar e a quase meio segundo do companheiro de equipa, Fabio Quartararo, que estreou-se com a moto italiana.

Por último em pista estiveram também alguns pilotos de Moto3, sendo que o mais veloz foi Áron Canet, que curiosamente neste circuito alcançou, este ano, a sua primeira vitória no Mundial.

Amanhã decorrerá o último dia de ensaios novamente entre as 9h00 e as 17h00, hora de Portugal Continental.

Classificação:

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Destaque Homepage
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png